Agradeço à maioria dos espanhóis que não se manifesta, diz Rajoy

Comentários são uma resposta aos protestos que acontecem desde ontem em diversas cidades da Espanha contra duras medidas de austeridade  

Álvaro Campos,da Agência Estado,

26 de setembro de 2012 | 14h34

SÃO PAULO - O primeiro-ministro da Espanha, Mariano Rajoy, agradeceu hoje aos milhões de espanhóis que não participam de protestos, mas "trabalham duro" para "ajudar o país a superar a crise". "Eu agradeço à maioria do espanhóis que não protesta, não saem na imprensa, mas são a imensa maioria do 47 milhões de espanhóis. Eles sofrem, passam por dificuldades enormes, mas estão trabalhando duro, dando o melhor de si para ajudar o país a sair da crise econômica", comentou ele durante um discurso no Conselho das Américas, em Nova York.

Os comentários de Rajoy são uma resposta aos protestos que acontecem desde ontem em diversas cidades da Espanha contra as duras medidas de austeridade implementadas pelo governo. De acordo com informações divulgadas pela polícia espanhola, 64 pessoas ficaram feridas em choques entre manifestantes e as forças de segurança em Madri, enquanto 38 foram detidas.

Hoje, Rajoy afirmou que as reformas visam tornar a Espanha mais competitiva e dinâmica e que os mercados financeiros têm uma percepção errônea sobre o país. "Eu sou otimista. Somos uma economia aberta, sólida e competitiva. Nossas reformas permitiram melhorar rapidamente a balança de conta corrente. A balança comercial com a zona do euro está positiva, o que nunca tinha acontecido antes", comentou.

Ele afirmou ainda que as raízes da integração da Europa são profundas e voltou a dizer que o compromisso com o euro é irreversível. "Desde 1957, com a criação da Comunidade Europeia, nós europeus percorremos um grande caminho", lembrou.

Tudo o que sabemos sobre:
Rajoymenifestaçõesespanha

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.