Agricultores fazem protestos em vários estados do País

A Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA) divulgou, no início da tarde, um balanço das manifestações que os agricultores realizam nesta terça-feira em vários estados do País. O objetivo das manifestações, organizadas pelas federações estaduais de agricultura, é denunciar a crise que atinge a agropecuária.De acordo com a CNA, o setor rural enfrenta problemas de renda, devido à combinação de problemas como fatores climáticos (estiagem em várias regiões ou chuvas excessivas em outros pontos do País); baixos preços pagos pela produção, depois da colheita, que não cobrem os custos de produção; além da defasagem cambial, gerando um quadro que dificulta a quitação de operações de crédito rural.A CNA, que reúne as federações estaduais, informou que produtores rurais de Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Paraná, Rio Grande do Sul, São Paulo e Tocantins estão hoje nas ruas para denunciar a crise do setor. No Paraná, a mobilização dos produtores rurais foi concentrada em dois pontos do Estado.Reivindicações diferentes nos EstadosO presidente da Confederação , Antonio Ernesto de Salvo, afirmou que a agricultura brasileira tem problemas diferenciados em cada região do País. No Rio Grande do Sul, por exemplo, o problema é a perda de renda por causa da seca, a queda dos preços internacionais e as importações de produtos do Mercosul. Em Mato Grosso, por sua vez, a situação é desfavorável por conta da desvalorização do dólar em relação ao real e por causa das dificuldades para escoar a safra agrícola.Ele lembrou que a crise no setor agrícola não é generalizada e que segmentos como, leite, café e cana-de-açúcar, passam por um momento favorável em 2005. De Salvo salientou que o setor não pode ser visto como aquele que sempre pede ajuda financeira ao governo. De Salvo acrescentou que a crise no setor é muito grave e que só o Paraná perdeu R$ 3 bilhões com a estiagem e a perda de qualidade por conta do clima adverso. Esse valor representa um quinto do que foi perdido no total do País.De Salvo disse também que cada Estado divulgará no fim do dia uma carta com os pleitos dos produtores locais e que esse documento serão encaminhados para a CNA, em Brasília. A confederação fará um resumo das reivindicações e vai apresentar o documento à área econômica do governo. Ele informou, ainda, que é possível que o movimento realizado hoje nos Estados ocorra em Brasília, mas não citou datas. Ele finalizou dizendo que o agronegócio respondeu no ano passado por cerca de US$ 34 bilhões de crédito na balança comercial do País.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.