Agricultura de emergentes precisa de US$ 1,7 bi, alerta FAO

Países em desenvolvimento devem ter acesso imediato a mais sementes, fertilizantes e ração animal

Deise Vieira. da Agência Estado,

24 de abril de 2008 | 13h14

O diretor da Organização das Nações Unidas para Agricultura e Alimentação (FAO, na sigla em inglês), Jacques Diouf, afirmou hoje que US$ 1,7 bilhão deveria ser destinado a produtores agrícolas de países em desenvolvimento para que eles plantem mais a fim de resolver a crescente crise alimentar no mundo.   Veja também: Supermercados dos EUA limitam venda de arroz Governo barra exportação de arroz Depois do feijão, arroz é novo vilão dos preços Especial: Entenda a crise dos alimentos   Segundo ele, um encontro internacional em Roma em junho dará ao mundo uma oportunidade de repensar políticas e agir. "A temporada atual e a próxima devem ser o foco (da ajuda) agora", enfatizou."Os fatos são claros. Precisamos oferecer alimentos e dinheiro para que as pessoas tenham algo para comer e precisamos reduzir os custos para os pobres para que eles tenham acesso aos alimentos", afirmou. Segundo o diretor, produtores de países em desenvolvimento devem ter acesso imediato a uma quantidade maior de sementes, fertilizantes e ração animal para a temporada 2008. "Se não os ajudarmos agora, o problema irá piorar." As informações são das agências de notícias internacionais.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.