coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Agrishow deve movimentar mais R$ 1 bilhão

A Agrishow 2002, nona edição da feira de tecnologia agrícola em ação de Ribeirão Preto, deve gerar negócios acima de R$ 1 bilhão, de acordo com os organizadores. O evento ocorre entre os dias 29 de abril e 4 de maio, com 185 mil metros quadrados de área de exposição, e 220 hectares de plantações e pastagens para demonstrações dinâmicas de máquinas e equipamentos. O número de expositores este ano vai ultrapassar 450, com forte presença de estrangeiros, e expectativa de que os negócios gerados na feira ultrapassem entre 10% e 15% o volume do ano passado, de R$ 1 bilhão. A Agrishow de Ribeirão Preto é considerada a maior feira de tecnologia agrícola da América Latina, e está entre os três principais eventos do gênero no mundo, ao lado da norte-americana Farm, e da ExpoChácara argentina. Estarão montados no local de exposições postos de atendimento do Banco do Brasil, Banespa e Bradesco, com linhas de financiamento às compras a taxas anuais de juros abaixo de 9%, de acordo com os organizadores da Agrishow. O público esperado para este ano é de pelo menos 130 mil pessoas. Em 1994, quando a Agrishow foi criada, o número de expositores foi 68, e 12 mil pessoas visitaram os estandes. Em 1999 350 expositores marcaram presença em Ribeirão, atendendo à visita de pouco mais de 100 mil pessoas. No ano passado, 450 empresas expuseram seus produtos e serviços na feira, a um público de 135 mil pessoas. Como o propósito do evento também é a transferência de tecnologia, 20 universidades estarão presentes com suas pesquisas relativas à agropecuária. Pecuária amplia espaçoPela terceira vez, a Agrishow reserva um espaço especial e que aumenta a cada ano à pecuária. Este ano serão 60 expositores das 12 principais raças bovinas criadas no Brasil, além de insumos e máquinas para a produção animal. Entre as inovações, a presença de empresas certificadoras de gado, que atestam a rastreabilidade dos animais e a qualidade da carne, exigências do mercado moderno. Também estará presente, pela primeira vez, a cadeia produtiva de piscicultura. Será lançada na ocasião uma nova raça bovina, chamada Senepol. De acordo com o diretor da Agrishow, Odilão Baptista Teixeira, o crescimento físico da feira está formalmente contido, em nome da qualidade do evento. A limitação do tamanho da exposição em Ribeirão, em favor da qualidade, gerou a criação de outras feiras sob a marca Agrishow, como a edição "Flores, Frutas e Hostaliças", já em sua terceira edição este ano, em Jundiaí (SP). Realizada pela Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos (Abimaq), Associação Brasileira de Agribusiness (ABAG), Associação Nacional de Difusão de Adubos (ANDA) e Sociedade Rural Brasileira (SRB), a Agrishow lança este ano eventos em Rondonópolis (MT) e Londrina (PR). Grandes fazendas de grãosOs dois lançamentos da marca Agrishow no ano têm objetivos diferentes. A Agrishow Paraná, marcada para agosto em Londrina, seguirá os moldes da edição "Flores, Frutas e Hortaliças" de Jundiaí (SP), em sua terceira edição em 2002. Ou seja, os paranaenses terão uma exposição de máquinas e implementos para pequenas propriedades. A Agrishow Cerrado, que ocorre entre os dias 3 e 6 de abril em Rondonópolis (MT), seguirá os moldes da feira de Ribeirão Preto, mas com foco em grandes propriedades de grãos, notadamente soja, milho, algodão e arroz. Como a topografia das áreas agricultáveis da região Centro-Oeste tem características planas, a feira de Mato Grosso permitirá a demonstração dinâmica de máquinas e equipamentos de grande porte. A área de exposição será de 25 mil metros quadrados, com cerca de 100 expositores, e público estimado em 15 mil pessoas. A área de demonstrações soma 70 hectares, especialmente cultivados para o evento. Os organizadores da Agrishow Cerrado Abimaq e Fundação MT (FMT) - não têm previsão de volume de negócios que a feira deve gerar, até por ser esta a primeira edição, mas o ambiente é de otimismo, dado o alto índice de investimentos tecnológicos verificado na região Centro-Oeste, e o próprio porte das máquinas e equipamentos. "Nós percebemos que o pequeno produtor de Mato Grosso não vai à feira de Ribeirão, até porque ele está colhendo suas lavouras no período. Então, resolvemos levar a feira até ele", disse o gerente comercial da feira, Pablo Manoppella, ressaltando que o padrão de pequeno produtor mato-grossense é o agricultor que cultiva entre 3 mil e 5 mil hectares. A Agrishow 2002 foi lança hoje em São Paulo, durante entrevista coletiva na sede da Abimaq. Na oportunidade, foi divulgado também o lançamento do livro "Terra e Alimento Panorama dos 500 anos de agricultura no Brasil", editado pela Embrapa, e publicado conjuntamente por algumas das principais entidades rurais e de agribusiness do Brasil.

Agencia Estado,

20 de março de 2002 | 16h54

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.