Água Sanitária Dragão é retirada do mercado

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) do Ministério da Saúde estabeleceu a apreensão, em todo o Brasil, da Água Sanitária Dragão, fabricada pela empresa Interlândia Ltda. De acordo com análise do Laboratório Central (Lacen) do Rio Grande do Norte, o produto está com o teor de cloro ativo de apenas 1,6 % p/p (peso por peso), abaixo dos padrões delimitados. A substância é o princípio ativo das soluções aquosas à base de hipoclorito de sódio ou cálcio e, conforme a Portaria nº 89/94, deve manter teor entre 2,0 e 2,5% p/p.Segundo a Anvisa, a embalagem da água sanitária é menos opaca do que está estabelecido, o que pode alterar as propriedades do produto. A perícia na Água Sanitária Dragão foi realizada depois da solicitação do Ministério Público do Rio Grande do Norte. A empresa, localizada em Joboatão (PE), tem a responsabilidade de retirar o produto do mercado. De acordo com a Agência, o recolhimento deve ser feito imediatamente e a fiscalização cabe às vigilâncias sanitárias estaduais e municipais. Os pontos de venda que descumprirem a resolução poderão ser punidos com notificação e multas que variam de R$ 2 mil a R$1,5 milhão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.