AIE eleva projeção de demanda por petróleo pela 1ª vez no ano

Relatório de julho da Agência eleva previsão de consumo em 90 mil barris/dia, por demanda de emergentes

Nathália Ferreira, da Agência Estado,

10 de julho de 2008 | 12h17

Pela primeira vez desde dezembro, a Agência Internacional de Energia (AIE) elevou levemente sua projeção de crescimento da demanda mundial por petróleo em 2008, mas alertou que o consumo global permanecerá bem abaixo da tendência até 2009, em meio ao declínio das condições econômicas. A agência aumentou em 90 mil barris por dia sua projeção para a demanda em 2008, devido ao maior consumo dos mercados emergentes. Veja também:Brasil deve crescer como maior exportador de etanol, diz AIE O menor crescimento econômico e os preços elevados de petróleo, que seguem acima de US$ 100 na maior parte do ano, prejudicaram o consumo de petróleo nos mercados desenvolvidos como EUA e Europa, mas a atividade econômica saudável nas nações emergentes, como Arábia Saudita e China, tem feito a diferença. "Em 2008 e 2009, a demanda global está significativamente abaixo da tendência... Mas o consumo fora da OCDE ainda deve permanecer excepcional", disse Lawrence Eagles, editor do relatório mensal de petróleo da AIE. Ele acrescentou que a média em longo prazo para o crescimento da demanda mundial em uma série de décadas é de cerca de 1,6% anualmente. Mas taxas de crescimento de apenas 1% são esperadas globalmente este ano e em 2009, disse a AIE em seu relatório de julho. O mundo deve utilizar, em média, 87,7 milhões de barris por dia em 2009, um crescimento de 860 mil barris por dia em relação a 2008. Segundo a Agência, boa parte do crescimento deverá vir de nações fora da Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) na Ásia e no Oriente Médio, onde o consumo deverá aumentar a uma taxa de 3,8%. Em contraste, o crescimento da demanda por petróleo nos EUA e outros mercados desenvolvidos, que representam a maior parte do total, deve diminuir pelo quarto ano seguido em 1,2% em 2009, disse a AIE em seu relatório mensal sobre petróleo. Oferta A agência afirmou que a maior produção em junho da Organização de Países Exportadores de Petróleo (Opep), se sustentada, permitirá que os estoques globais de petróleo, uma reserva de segurança, subam para níveis mais confortáveis. A Opep, cujo petróleo atende cerca de 40% da demanda mundial diária, produziu 350 mil barris por dia a mais em junho, em 32,4 milhões de barris por dia. Boa parte desse crescimento veio da Arábia Saudita, que elevou a produção em maio para suprir a maior demanda dos clientes. A oferta fora da Opep irá crescer em um total de 640 mil barris por dia no próximo ano, melhor do que a média de crescimento de 400 mil a 500 mil vista anualmente desde 2005, que alimentou as preocupações do mercado com o abastecimento inadequado de petróleo.  Especulação O relatório considera que o argumento da Opep e de algumas nações consumidoras de que a especulação tem levado os preços do petróleo para as máximas recebeu "outro golpe" com a recente divulgação dos dados de negociação de petróleo nos EUA. O pico dos preços coincidiu com o menor interesse aberto pelo petróleo WTI, o que significa que muitos operadores estavam reduzindo suas apostas na elevação dos preços. As posições líquidas de operadores não comerciais, como hedge funds, também estavam caindo, disse a AIE.

Tudo o que sabemos sobre:
Petróleo

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.