AIE reduz previsão de demanda mundial de petróleo

A Agência Internacional de Energia (AIE) reduziu em 180 mil barris diários suas previsões de demanda mundial de petróleo para este ano. Segundo divulgou a agência nesta sexta-feira, a procura será de 84,8 milhões de barris diários em média, 1,25 milhão de barris a mais que em 2005. A mudança corresponde à queda das perspectivas de consumo nos países da antiga União Soviética, que deverão aproveitar a alta dos preços do petróleo para exportar mais. Os Estados Unidos também deverão consumir menos do que o previsto, por conta do fim das estações frias.De acordo com o relatório de maio, a demanda da América do Norte crescerá 0,9% este ano, para 25,42 milhões de barris diários; a da Europa, 0,2%, para 16,33 milhões; a do bloco formado por Japão, Coréia do Sul, Austrália e Nova Zelândia, 0,4%, para 8,63 milhões.A agência prevê crescimento de 5,3% no consumo da China, para 6,59 milhões de barris diários; e do Oriente Médio, para 6,13 milhões.Em abril, a oferta mundial aumentou em 485 mil barris diários em relação a março, chegando à média de 85,1 milhões, mesmo com a queda na produção dos poços do Mar do Norte, que iniciaram as operações sazonais de manutenção.Opep Os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) contribuíram com 29,9 milhões de barris diários em abril, 170 mil a mais que no mês anterior. Os responsáveis pelo aumento foram o Iraque, com 215 mil barris a mais; Nigéria, Venezuela e Líbia.Em março, as reservas industriais dos países da Organização para a Cooperação e o Desenvolvimento Econômico (OCDE) caíram 17 milhões de barris, para ficar em 2,62 bilhões - 74 milhões a menos que no mesmo período no ano passado.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.