Ainda não há solução para a Varig, diz Rigotto

O governador do Rio Grande do Sul, Germano Rigotto, disse hoje, ao sair de audiência com o presidente Luiz Inácio Lula da Silva e os ministros da Defesa, José Viegas, da Fazenda, Antonio Palocci, e da Casa Civil, José Dirceu, que o governo quer manter a operacionalização da Varig e está analisando várias hipóteses, inclusive com injeção de capital privado, mas ainda não tem uma solução final para o caso. Desde já, no entanto, disse que o governo quer uma solução de mercado. Segundo Rigotto, há um entendimento de que a Fundação Rubem Berta, que detém o controle da companhia aérea, não pode continuar mandando na empresa. "Há princípios em que concordamos sobre a mudança da situação da Fundação Rubem Berta", disse, ressaltando que o governo quer manter a marca, empregos e a companhia operando. "O presidente sugeriu a busca de unidade entre as partes envolvidas", relatou Rigotto, à saída do Planalto.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.