Reuters
Reuters

coluna

Dan Kawa: Separar o ruído do sinal é a única forma de investir corretamente daqui para a frente

Airbus entrega volume recorde de 718 aviões em 2017

A empresa, porém, continuou atrás da norte-americana Boeing, que manteve o título de maior fabricante após entregar 763 aviões em 2017, um recorde na indústria aeronáutica

O Estado de S.Paulo

15 de janeiro de 2018 | 11h56

PARIS - A Airbus entregou um número recorde de aviões em 2017 e recebeu mais encomendas do que esperava, encerrando o ano de forma positiva, apesar de ter enfrentando problemas com funcionários e fornecedores, além de acusações de má conduta.

A companhia europeia divulgou nesta segunda-feira, 15, que entregou 718 aviões no ano passado, cumprindo sua meta de mais de 700 unidades, depois de fabricar 688 aeronaves em 2016.

A Airbus, porém, continuou atrás da norte-americana Boeing, que manteve o título de maior fabricante após entregar 763 aviões em 2017, um recorde na indústria aeronáutica.

Por outro lado, a Airbus superou a Boeing em contratos. A europeia registrou 1.109 encomendas líquidas em 2017, ante 912 da Boeing, após garantir 776 encomendas apenas em dezembro. O total do ano passado superou suas expectativas.

Também no fim de 2017, a Airbus tinha encomendas acumuladas para 7.265 aviões, o que significa que a produção irá se estender até a próxima década.

Os bons resultados vieram num importante momento de transição para a Airbus. Fabrice Brégier, diretor de operações e presidente da divisão de aviões comerciais, está deixando a empresa. Já o diretor de vendas John Leahy, que tem muitos anos de casa, também está saindo. Além disso, o executivo-chefe da Airbus, Tom Enders, deixará o cargo no próximo ano./DOW JONES

Tudo o que sabemos sobre:
Paris [França]AirbusBoeing

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.