Ajuda do BNDES à Varig deve ficar para 2003

O diretor de renda variável e privatização do BNDES, Eduardo Gentil, disse nesta quinta-feira que a ajuda financeira do banco para a Varig não deverá ocorrer este ano. Segundo ele, somente em dois meses período haverá a definição sobre a reestruturação financeira do capital da companhia aérea. Gentil disse que o conselho de administração da FRB-Par (holding controladora da Varig) está fazendo um diagnóstico financeiro da companhia e, para isso, contratou a consultoria multinacional Bain.Além disso, a controladora está contratando uma "auditoria de acompanhamento" do diagnóstico, que deverá estar concluído em cerca de dois meses. "Só depois dos estudos saberemos quanto será necessário e qual será a estrutura de capital permanente e saudável para a Varig", disse.Ele afirmou que "hoje todo mundo reconhece que a empresa está altamente endividada e operacionalmente inchada". Questionado se a definição do apoio financeiro do BNDES à Varig sairá ainda neste ano, Gentil disse que "uma oferta de capital não ocorre tão rápido" e até o final do ano estará concluída a nova estrutura de capital da companhia. Ele "acha" que a ajuda ficará para 2003.O diretor do BNDES disse que a Varig já fez a reestruturação operacional (com integração com a Rio Sul e a Nordeste) e agora está concluindo os "ajustes necessários", que consistem na unificação das diretorias e redução de custos da empresa. Gentil disse que o BNDES tem mantido conversas com todas as companhias aéreas e adiantou que a TAM planeja acessar o mercado de capitais no futuro. "Mas, isso será daqui a um ou dois anos. Não é para agora."

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.