Ajuda do FMI reforça política econômica, diz agência de risco

A diretora da área de risco soberano para América Latina da agência norte-americana de classificação de risco Standard & Poor´s (S&P), Lisa Schineller, disse que a decisão do Brasil de assinar um acordo com o FMI "reforça a idéia de que o Brasil dará continuidade ao conjunto de políticas econômicas sólidas que o novo governo vem implementando até o momento".Ela ressaltou que o acordo não é um fator que influencia a nota soberana do País. Para ela, o mais importante é o fato de o Brasil ter ou não políticas econômicas sólidas e corretas.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.