Ajude-me por favor
Conteúdo Patrocinado

Ajude-me por favor

Empreendedoras enfrentam desafio da múltipla jornada e carga mental pesada; movimentos e iniciativas empresariais auxiliam a tornar o percurso mais leve

Dell Technologies, Aladas e Microsoft, Media Lab Estadão
Conteúdo de responsabilidade do anunciante

25 de novembro de 2020 | 16h26

Mais da metade das empreendedoras é casada, tem filhos e trabalha de casa. Flexibilidade e tempo para a família são as maiores motivações para abrirem seus próprios negócios. Elas são donas de quase metade das empresas no País, mas dedicam menos tempo aos seus empreendimentos por conta da múltipla jornada.

Esse é um breve recorte que diversas pesquisas apontam sobre o empreendedorismo feminino do Brasil e sobre a relação que elas têm com os cuidados domésticos, uma tarefa ainda majoritariamente comandada por mulheres.

Com oferta limitada de creches e escolas em período integral, essa condição acaba freando o potencial de crescimento e geração de renda no Brasil.

“Quando me tornei mãe, acabei perdendo a chance de expandir minha empresa internacionalmente porque não tinha com quem deixar meus filhos”, conta Rachel Ripani, produtora de teatro e de musicais. “É como se eu fosse uma carroça e tivesse colocado ainda mais malas nela. Senti uma dificuldade aguda de movimentação e de expansão.”

Sem culpa para delegar tarefas

A chamada carga mental é o trabalho de constante administração das tarefas domésticas e profissionais que recai em sua maioria sobre as mulheres.

“Neste movimento de querer se mostrar capaz, as mulheres estão se esquecendo de que, para fazer algumas coisas, precisam abrir mão de outras – e sem culpa”, diz a psicóloga Monique Edelstein, recomendando que as mulheres deem mais atenção às prioridades pessoais e deleguem funções para evitar o burnout (esgotamento mental e físico).

Amanda Chatah, sócia da fábrica de móveis infantis Muskinha Design Divertido, passou por isso quando, durante a pandemia, se viu submersa nas demandas domésticas, cuidado de três filhos e da empresa. A solução, para ela, foi exigir menos perfeição e dedicar mais tempo aos cuidados pessoais.

“Compartilhar funções domésticas é fundamental, e as mulheres precisam conseguir estabelecer essas relações dentro de casa”, afirma Ana Maria Drummond, conselheira da World Childhood Fountation e fundadora da startup social Somos Todas Marias.

Roberta Mourão, fundadora da LOA Terra e sócia da Horta-Escola da Vila da Terra, vai além: “Conforme as crianças crescem, a empresa também cresce. Quando elas começam a trocar de roupa sozinhas, eu consigo fazer mais uma prospecção de cliente por dia. Cada avanço dos filhos é uma conquista da mãe empreendedora”.

Tecnologia como aliada

Criadora do movimento Aladas e empreendedora desde os 19 anos, Daniela Graicar se apoia também na tecnologia para conciliar demandas. “Como o tempo é só um e eu tenho meus sonhos e ambições, estou sempre numa luta para que os afazeres domésticos tomem de mim o mínimo de produtividade”, diz. “Sem a divisão de tarefas clara e respeitosa com meu marido e sem recorrer à ajuda da tecnologia e dos apps que nos aliviam, seria impossível conciliar tudo.”

E mais: para a tecnologia ser aliada da empreendedora, é fundamental ter parceiros de tecnologia para facilitar essa produtividade e auxiliar na escolha das soluções corretas, sem que ela precise, necessariamente, entender do assunto.

Conte com elas

Conheça algumas iniciativas que auxiliam as mulheres na jornada do empreendedorismo

DWEN (Dell Technologies)

Rede global de capacitação de mulheres empreendedoras para conectar, inspirar e transformar os seus negócios por meio do poder da tecnologia.

ALADAS

Capacitação técnica e socioemocional, mentorias e conteúdo.

Programa Microsoft Women Entrepreneurship (WE) Promoção de diversidade e inclusão por meio do fomento de startups lideradas por mulheres no Brasil.

MULHER EMPREENDEDORA (Sebrae)

Treinamento, capacitação e mentoria.

SOMOS TODAS MARIAS

Formação em educação emocional, direitos humanos e enfrentamento à violência, cidadania financeira e gestão de negócios com foco

na área da beleza.

XPEED

Jornada de educação financeira para mulheres.

Para saber mais, acesse

www.dell.com. br/dwen e www.aladas.com.br

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.