Alca não sai no curto prazo, diz Mailson

O ex-ministro da Fazenda Mailson da Nóbrega, disse hoje que a possibilidade de a Área de Livre Comércio das Américas (Alca) sair no curto prazo é muito pequena. Segundo ele, enquanto os Estados Unidos não cederem nas questões agrícolas, países como o Brasil resistirão à parceria."A Alca está prevista para 2005 mas acho muito pouco provável que o governo Bush ceda nas questões agrícolas. Até porque, um afrouxamento nessa área para países latino-americanos representaria um possível enfraquecimento nas negociações com a União Européia", afirmou.O economista destacou ainda o fato de considerar a Alca como uma boa estratégia para o Brasil, principalmente porque os países que ampliaram sua rede de comércio exterior são os que hoje estão melhores posicionados. Ele citou o caso do México que, muito por conta das relações comerciais desenvolvidas com os Estados Unidos, se colocou em patamares bem superiores aos brasileiros.Outro indicador que demonstra a vantagem mexicana é o risco de ambos os países. O do México gira em torno de 300 pontos e o brasileiro, de 600. "Por isso a Alca tem de ser encarada como uma oportunidade que não pode ser perdida", comentou Mailson.O ex-ministro falou na noite de ontem a uma platéia de cerca de 150 executivos reunidos em Florianópolis, durante a abertura do 8º Encontro Abima de Fabricantes de Massas Alimentícias e Fornecedores.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.