Alckmin culpa governo federal por reajuste nas contas da Sabesp

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), culpou o governo federal pelo reajuste de 9% que a Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) promoveu em contas nesta quarta-feira. Segundo ele, a correção nas tarifas de água e de coleta de esgoto foi motivada pelo reajuste que o governo federal aplicou na Contribuição Para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins).De acordo com Alckmin, o recolhimento de Confins da Sabesp saltou de R$ 187 milhões ao ano para R$ 348 milhões ao ano, uma expansão de 11,12%. "Não deixei o reajuste passar de 9% e mandei discriminar nas contas o quanto refere-se a imposto, para as pessoas saberem que não estão pagando só a água, mas grande parte de tributos em cima da água e zero de imposto estadual", disse o governador, após participar de evento no Jardim Angela, zona sul de São Paulo.Alckmin insistiu que as tarifas de água e coleta de esgoto são isentas de ICMS e que toda carga tributária que recai sobre este tipo de serviço é de responsabilidade da União. "O governo federal está transformando as empresas em arrecadadoras de impostos", acusou. "Veja que não tem um centavo de ICMS nas contas da Sabesp. Não existe imposto estadual nesta conta", insistiu.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.