Alckmin culpa juro real por desemprego recorde na Grande SP

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), classificou hoje como "extremamente preocupante" o nível de desemprego recorde atingido na Grande São Paulo em setembro, de 20,6% da População Economicamente Ativa (PEA), com mais de 2 milhões de desocupados. "Estamos tendo talvez o pior ano de desemprego nos últimos dez anos", disse, após participar de evento na Companhia Brasileira de Alumínio (CBA), em Alumínio.Na avaliação do governador, o crescimento dos juros reais (taxa de juro básica, a Selic, descontada a inflação) foi a principal causa da retração da atividade econômica e, por conseqüência, da elevação do nível de desemprego. "Tivemos crescimento da Selic no começo do ano, mas como a inflação caiu mais depressa, os juros reais subiram o ano todo e levaram a uma retração da atividade econômica", comentou. Segundo Alckmin, o governo paulista já adotou uma série de medidas emergenciais, principalmente na Grande São Paulo, para conter a escalada do desemprego. "Já temos frentes de trabalho na região metropolitana com 26 mil trabalhadores, recebendo salário mínimo, cesta básica e qualificação com cursos. Estamos estimulando os pequenos empreendedores com o Banco do Povo e seu microcrédito, além de reduzirmos impostos para micros e pequenas empresas", listou. "Esperamos já começar a recuperar o emprego no fim do ano e melhorar no ano que vem", ressaltou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.