Alckmin diz que crescimento do PIB é bom, mas poderia ser melhor

O crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) do Brasil de 3,4% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado, conforme divulgou hoje o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), "é bom porque o País está crescendo", mas poderia estar num ritmo "muito mais forte". A análise é do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.Ele justificou sua opinião alegando que o cenário internacional, neste momento, é "excepcional", o que criaria as condições para um crescimento maior da economia brasileira. Além disso, ele disse entender que o ritmo de crescimento do País seria maior "se tivéssemos avançado no conjunto de reformas estruturantes, melhorado a qualidade do gasto público, gastando menos com gastos correntes e mais com investimentos".PIB paulistaAlckmin afirmou que a Fundação Seade ainda não consolidou os dados do PIB paulista do primeiro semestre, mas demonstrou otimismo para que o Estado tenha o mesmo desempenho do ano passado, quando a economia paulista cresceu 7,6%, ficando acima dos 4,9% registrados no País e dos 5,8% da média mundial.De toda forma, Alckmin disse também que vai "torcer" para que o PIB brasileiro no segundo semestre cresça acima do primeiro e que a mola propulsora da economia seja, mais uma vez, as exportações."Se a renda está baixa neste momento, e está baixa, pois a população está com pouca renda, temos de exportar para trazer renda de lá de fora para cá. E São Paulo está fazendo um grande esforço para exportar e está se tornando uma plataforma exportadora, já que um terço das exportações brasileiras pertencem ao Estado", opinou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.