Alckmin diz que São Paulo não vai intervir na crise da Vasp

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), descartou hoje qualquer ajuda à Vasp. No sábado, todos os vôos da empresa foram cancelados no País, como apurou reportagem da Agência Estado. A Vasp, segundo informações do site da companhia, voa para 30 diferentes destinos dentro do Brasil."O Estado de São Paulo não tem nenhuma participação na gestão da companhia", disse Alckmin. "Na verdade, o Estado é o maior credor da Vasp." Alckmin afirmou que no quando da privatização da companhia, os novos proprietários não pagaram uma série de dívidas, que tiveram que ser honradas pelo governo. Por isso, segundo Alckmin, o Estado está acionando a companhia na Justiça para reaver esses recursos. O governador abriu, no início da noite de hoje, o 23º Congresso Internacional de Odontologia de São Paulo, realizado no Anhembi. Participou também da cerimônia o prefeito José Serra (PSDB). O prefeito saiu da cerimônia sem falar com os jornalistas.Imposto de RendaEm entrevista aos jornalistas, Alckmin voltou a criticar a MP 232, que aumentou a base de cálculo da Contribuição Social sobre Lucro Líquido (CSLL) e do Imposto de Renda retido na fonte para os prestadores de serviços que optarem por pagar com base no lucro presumido. "A MP está penalizando justamente um dos segmentos mais dinâmicos da economia, que é o setor de serviços." Segundo o governador, em vez de aumentar a carga tributária, o governo federal deveria reduzir os gastos.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.