Felipe Rau/Estadão
Felipe Rau/Estadão

Alckmin fez com que o PSDB se reencontre com sua tradição, diz Moreira Franco

Para o ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Wellington Moreira Franco, o apoio do governador Geraldo Alckmin à reforma da Previdência marca o reencontro do partido com sua história

Eduardo Laguna e Karla Spotorno, O Estado de S.Paulo

11 de dezembro de 2017 | 09h58

O ministro-chefe da Secretaria Geral da Presidência da República, Wellington Moreira Franco, disse nesta segunda-feira, 11, que o apoio do governador Geraldo Alckmin, presidente nacional do PSDB, à reforma da Previdência marca o reencontro do partido com sua história e tradição.

PLACAR DA PREVIDÊNCIA Veja como deve votar cada deputado

Ao participar de fórum do Estadão sobre a proposta de mudanças nas regras das aposentadorias, Moreira Franco lembrou que foi o próprio PSDB, durante o governo FHC, que introduziu o debate da Previdência.

 “A importância de o partido dizer isso [apoiar a reforma] é a oportunidade que a sigla está tendo de se reencontrar com sua própria historia”, comentou o ministro. “Alckmin, declarando apoio, faz com que todos eles [do partido] consigam se ver com o que está escrito na própria tradição [do PSDB]”, declarou.

+ 124 deputados da base aliada dizem votar contra a reforma da Previdência

Ou vai ou racha. Nos últimos dias, aliados do presidente Michel Temer estão cobrando apoio inequívoco do PSDB à proposta da reforma da Previdência proposta pelo governo. Após discursos de dirigentes tucanos defendendo a reforma, líderes governistas cobraram que a bancada do PSDB na Câmara obrigue seus deputados a votar a favor da Proposta de Emenda à Constituição (PEC). 

As declarações do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do pré-candidato à Presidência da República, o governador paulista Geraldo Alckmin, foram vistos como fator propulsor de votos, mas não o suficiente para garantir que toda a bancada siga a proposta, que faz parte do conteúdo programático do partido.

"Foram corretíssimos tanto em reafirmar a questão programática e mostrar compromisso em relação à reforma. É importante que isso se materialize em fechamento de questão", disse o líder da Maioria na Câmara, Lelo Coimbra (PMDB-ES). O peemedebista argumentou que PMDB e PSDB estão unidos em prol da reforma por razões distintas: o primeiro por ser governo e o segundo por ter a proposta explícita na carta de formação do partido. "Esses partidos não têm como fugir da reforma".

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.