Alckmin insinua que Lula já sabia das intenções de Morales

O pré-candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin, insinuou nesta quinta-feira que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) não foi pego de surpresa pela decisão do presidente da Bolívia, Evo Morales, de nacionalizar a exploração de gás natural e de petróleo. Segundo o tucano, Morales já tinha dito que iria agir desta forma em sua campanha presidencial. "E, na realidade, teve apoio de Lula e o aplauso (do petista) após a eleição", reiterou.Alckmin falou também que a decisão da Bolívia é prejudicial aos interesses brasileiros, à medida que a ruptura unilateral de contratos vai gerar insegurança e aumento interno de preços. E continuou nas críticas: "Foi uma atitude submissa, que colocou os interesses do País em segundo plano por causa de questões ideológicas."Mesmo com as insinuações de que Lula já sabia dos planos do colega boliviano, ele cobrou explicações do presidente da República: "Lula precisa explicar que o governo brasileiro foi comunicado que os ativos da Petrobras seriam expropriados".Apesar do governo Lula não reconhecer crise no impasse comercial entre Brasil e Bolívia, o tucano deixou claro que este será um tema a ser explorado nos palanques das eleições gerais deste ano.Para o ex-governador paulista, além desta ser uma questão preocupante para os interesses econômicos do País, denota uma postura submissa do dirigente brasileiro, em detrimento dos interesses nacionais. "O presidente adotou uma conduta distante na defesa dos nossos interesses", disse.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.