Alckmin volta a criticar juro para controle da inflação

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, criticou hoje o uso dos juros como único instrumento para atingir a meta de inflação. "Ligou no piloto automático - só política de juros. Temos que discutir outra questão essencial: corte do gasto público", afirmou.Segundo ele, "o problema da alta dos juros é que ela causa três efeitos nefastos". O primeiro seria o esfriamento da atividade econômica, o segundo no câmbio e o terceiro o aumento da dívida pública.Alckmin defendeu que a eficiência do uso dos recursos públicos permitiria a redução da carga tributária, que considera necessária, junto com a desburocratização, para reduzir a informalidade. "Quanto mais aumenta imposto, mais empurra para a informalidade", afirmou.PIB é "preocupante"O governador qualificou como "preocupante" o crescimento do Produto Interno Bruto de 0,3% no primeiro trimestre e disse que "mais preocupante ainda é a queda de investimento".O investimento, no conceito de Formação Bruta de Capital Fixo (FBCF), que é integrado em 60% por construção civil e em 40% por máquinas e equipamentos para produção, caiu 3% no primeiro trimestre em relação ao 4o trimestre do ano passado. "O investimento de hoje é o emprego de amanhã", disse.Em apresentação no Jockey Club promovida pela Associação dos Dirigentes de Vendas e Marketing do Brasil (ADVB), Alckmin defendeu uma nova rodada de reformas federais: fiscal, não só tributária, da previdência e política.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.