Álcool: Embrapa vai transferir tecnologia a Gana

Três dos quatro acordos de cooperação que serão assinados durante a visita do presidente Luiz Inácio Lula da Silva a Gana envolvem transferência de tecnologia pela Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária na África (Embrapa África), cuja sede será inaugurada neste domingo. Na nova sede, serão desenvolvidas atividades como treinamentos para técnicos africanos, em parceria com o Conselho para Pesquisa Científica e Industrial (CSIR) a Agência Brasileira de Cooperação (ABC). As parcerias dos acordos que serão assinados amanhã referem-se à produção de biocombustíveis, cultivo de mandioca e manejo florestal. Diversos projetos já estão em andamento no continente, atendendo a demandas de diferentes países africanos. O projeto relativo aos biocombustíveis, que envolve o cultivo de cana-de-açúcar, principalmente para produção de etanol, é da brasileira Constran em associação com uma empresa africana. O presidente da Embrapa, Silvio Crestana, assina amanhã memorando de entendimento com a Constran para a execução do projeto, que terá duração de cinco anos e prevê a produção de 180 milhões de litros de álcool por ano, em 30 mil hectares de plantio de cana-de-açúcar na região norte de Gana.Segundo Crestana, o projeto contribuirá para abertura de fronteiras para a iniciativa privada brasileira, em termos de negócios ou de contribuição social. "Ao transferir tecnologia, produtos e serviços, sempre haverá mercado para máquinas, equipamentos e investimentos" diz ele. Em Gana, a Embrapa já atua na transferência de tecnologia para produção de mandioca. "Estamos selecionando algumas variedades e também ajudando no processamento comercial. Estão previstos mil hectares de mandioca, o que é bastante para um país relativamente pequeno", afirma Elísio Contini, assessor internacional da Embrapa.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.