Alemanha entra em recessão com queda de 0,1% do PIB

A Alemanha, a maior economia da zona do euro, entrou em recessão no primeiro semestre do ano. O Produto Interno Bruto do país contraiu-se 0,1% no segundo trimestre, na comparação com o período de janeiro a março, quando a economia encolheu 0,2%. Segundo critérios técnicos clássicos, dois trimestres consecutivos de contração indicam que um país está em recessão. Na comparação com o segundo trimestre de 2002, a contração da economia alemã foi de 0,6%. A constatação de que a economia da Alemanha se contraiu já era esperada pelos economistas, diante do enfraquecimento da demanda externa, do apático consumo doméstico e do impacto do fortalecimento do euro.Mesmo assim, a confirmação de um quadro recessivo deve ampliar as preocupações sobre as condições econômicas de toda a zona do euro. Além da Alemanha, a Itália também enfrentou uma recessão no primeiro semestre, conforme dados divulgados na semana passada. A economia da Holanda, por sua vez, encolheu 0,5% no segundo trimestre, ante os três primeiros meses do ano.Em relação aos demais meses do ano, os economistas acreditam que o PIB alemão deve ter uma contração de 0,2% em termos não-ajustados e de 0,1% em bases ajustadas. No entanto, a pesquisa recente do instituto Ifo sobre confiança do empresariado sinalizou que o país já estaria se preparando para uma recuperação. O governo é ainda mais otimista. O ministro da economia, Wolfgang Clement, afirmou, hoje, que o país teve ter uma guinada já no segundo semestre de 2003. Ontem, o gabinete alemão aprovou um pacote de reformas que inclui uma redução tributária de US$ 17,6 bilhões para o próximo ano, o que deve contribuir para impulsionar o consumo. O pacote ainda tem de ser aprovado pelo Congresso.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.