Alemanha quer votar medidas para a Grécia na 5ª feira, diz parlamentar

Expectativa é que os partidos de oposição também apoiem o pacote de medidas, que inclui um programa de recompra de bônus gregos e reduções de taxas de juros

Álvaro Campos e Sergio Caldas, da Agência Estado,

27 de novembro de 2012 | 15h40

BERLIM - O Parlamento da Alemanha vai votar na quinta-feira, 29, a série de medidas fechadas em Bruxelas para reduzir a dívida da Grécia no longo prazo e liberar quase 44 bilhões de euros (US$ 57,1 bilhões) em ajuda para Atenas, segundo um parlamentar sênior da coalizão governista da chanceler Angela Merkel.

O parlamentar, Michael Grosse-Broemer, disse estar "muito otimista" de que a maioria do integrantes da aliança governista votará a favor das medidas.

A expectativa é que os partidos de oposição também apoiem o pacote de medidas, que inclui um programa de recompra de bônus gregos e reduções de taxas de juros com objetivo de reduzir o endividamento da Grécia.

Segundo Grosse-Broemer, a votação ocorrerá após um discurso do ministros das Finanças alemão, Wolfgang Schäuble, sobre as novas medidas. As informações são da Dow Jones.

Schäuble disse que o financiamento para uma potencial recompra de bônus da Grécia virá de um pacote de medidas adicionais de financiamento combinado pelos credores do país hoje.

Schäuble se disse "relativamente confiante" de que o programa de recompra de bônus gregos pode funcionar, embora existam instrumentos adicionais disponíveis para reduzir a dívida do país caso o programa não tenha sucesso.

Anteriormente, o ministro alemão tinha defendido que a Grécia pudesse ser capaz de receber até 10 bilhões de euros adicionais do fundo de resgate temporário da zona do euro, a Linha de Estabilidade Financeira Europeia (EFSF, nas iniciais em inglês), para financiar o programa de recompra de bônus. Mas esse valor não está incluindo no relatório oficial divulgado hoje pelo grupo de ministros de Finanças da zona do euro (Eurogrupo).

Hoje, Schäuble comentou que o financiamento para o programa de recompra de bônus pode vir, também, do dinheiro que a Grécia vai economizar após seus credores concordarem em reduzir a taxa de juros cobrada nos empréstimos destinados ao país. Além disso, o BCE poderia destinar aos governos da zona do euro o lucro que obtiver com sua carteira de bônus gregos, e depois os países do bloco repassariam esse dinheiro para a própria Grécia. Outra opção é o país emitir títulos do Tesouro de curto prazo.

Segundo o ministro, é "apropriado" que os governos da zona do euro repassem para a Grécia o lucro devolvido pelo BCE. Ele também explicou que o acordo anunciado hoje vai permitir ao país atingir um superávit primário de 4,5% do PIB em 2016. "Novas medidas não estão descartadas", comentou, se referindo a possíveis ações adicionais para reduzir a dívida grega para níveis sustentáveis.

Schäuble disse ainda esperar que o Parlamento da Alemanha vote esta semana o projeto com as medidas adicionais de financiamento para a Grécia. Mas ele disse que ainda não está certa a data exata para a votação. As informações são da Dow Jones.

Tudo o que sabemos sobre:
AlemanhaGréciaSchäuble

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.