Alencar afirma que solução para setor aéreo sai em até 90 dias

O vice-presidente e ministro da Defesa, José Alencar, afirmou nesta terça-feira que a solução para o setor aéreo deverá ser apresentada pelo governo em no máximo 90 dias. A afirmação foi feita depois de uma reunião do Conselho de Administração da Infraero, quando foram discutidas as dívidas das empresas aéreas com a gestora dos aeroportos nacionais.Ao ser perguntado sobre se concordava com a previsão do presidente da Infraero, Carlos Wilson, de que a solução será apresentada em no máximo três meses, Alencar reagiu afirmando que "muito antes de três meses". "Temos que resolver isso logo", disse.Carlos Wilson disse que uma solução para a reestruturação do setor aéreo e a questão do endividamento da Varig terão de ser enfrentados pelo governo já, pois começa agora a baixa estação das vendas de passagens aéreas, o que deverá agravar o problema de caixa das companhias. Wilson afirmou que a Varig precisa apresentar "uma proposta convincente de que vai passar o controle (da empresa)". Segundo ele, o governo não vai injetar recursos na empresa para a sua reestruturação econômica enquanto a Fundação Rubem Berta estiver à frente da Varig."Eles dizem que vão passar o controle e não passam o controle de nada", criticou. "O governo não vai dar dinheiro para ser administrado pela fundação", o que poderá acontecer no caso de outro controlador, concluiu.Unibanco - A Varig e o Unibanco assinaram na tarde desta terça-feira contrato de assessoramento para a condução de processo de reestruturação. A empresa aérea enviou a Bovespa o seguinte comunicado: "As empresas de capital aberto VARIG S.A. (Viação Aérea Rio-Grandense) e VARIG Participações em Transportes Aéreos S.A. contrataram o Unibanco - União de Bancos Brasileiros S.A. - para assessoramento estratégico financeiro e condução de um processo de reestruturação financeira e societária das empresas e de suas respectivas subsidiarias. Como extensão dos trabalhos, poderão ser contratados outros consultores, tais como assessores legais e tributários, os quais serão liderados pelo Unibanco".

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.