Alencar comemora queda do compulsório e espera Selic menor

O vice-presidente José Alencar comemorou hoje a decisão do Banco Central de reduzir de 60% para 45% a alíquota dos compulsórios sobre depósitos à vista ? parcela de recursos que os bancos devem recolher ao Banco Central. Entretanto, mesmo considerando a medida "muito boa" para a economia e o "primeiro passo" para uma diminuição significativa dos juros, ele voltou a defender um porcentual menor da taxa Selic. "Tem que naturalmente baixar os juros na proporção correta, porque de fato precisamos de mais recursos econômicos para o Brasil", afirmou. Pelos estimativas do BC, a redução da alíquota dos compulsórios deve liberar aos bancos R$ 8,25 bilhões. Maior crítico, no governo, da política da equipe econômica, o vice nunca deixou de fazer declarações públicas contra os juros altos. O próprio presidente Luiz Inácio Lula da Silva já pediu "paciência" a ele, mas nunca teve êxito. Sem fazer críticas pessoais, Alencar alega que a redução dos juros é um desejo do País. Hoje à tarde, ao ser questionado se a redução do compulsório o satisfazia, José Alecar disse, a princípio, que não era o momento de falar sobre a questão. Mas ironizou quando indagado se essa redução atendia aos seus apelos: "Eu não sei. Vice não manda nada, só pede", afirmou.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.