Alencar contesta na Rússia embargo à carne brasileira

Técnicos sanitários russos e brasileiros estão reunidos na capital russa para debater a questão do embargo imposto pela Rússia à importação da carne brasileira. Nesta terça-feira, o vice-presidente, José Alencar, e o secretário-executivo do Ministério da Agricultura, Amauri Dimarzio, encontraram-se com o vice-ministro russo da Agricultura, Alexei Gordeev. O embargo russo começou em setembro, depois da confirmação de um caso de febre aftosa na cidade de Careiro da Várzea, no Amazonas. A área não é livre da doença e nem exporta carne.Durante o encontro, o secretário brasileiro entregou às autoridades russas um relatório sobre o processo de produção da carne no Brasil. Segundo ele, o governo russo alega que o tipo de vírus da febre aftosa registrado no Amazonas não existe na Rússia e não há como ser combatido. Dimarzio destacou que o Brasil possui a vacina e exporta para outros países.Ele argumentou também que o Brasil vende carne para 127 países e apenas a Rússia criou o impasse. O embargo se estendeu para todos os tipos de carne produzidos no Brasil, inclusive peixe. "Eles caíram na real", disse Dimarzio. José Alencar reforçou que as empresas russas precisam conhecer melhor o processo de produção da carne brasileira. Possíveis prejuízosSegundo o secretário, o governo vai negociar para que os russos estipulem uma data para analisar o relatório e para que liberem imediatamente a venda de frango, já que o animal não tem relação com a doença. Amauri Dimarzio informou que a suspensão ainda não está causando prejuízos para os produtores. Caso o embargo persista, os prejuízos podem surgir a partir de meados de novembro e podem chegar a US$ 150 milhões.Números do comércioEm 2003, a balança comercial entre os dois países alcançou US$ 2 bilhões. A previsão para este ano é que esse montante aumente. De janeiro a setembro deste ano, os dois países negociaram US$ 1,7 bilhão, crescimento de 21% em relação ao mesmo período de 2003. Hoje, os produtos mais exportados pelo Brasil para a Rússia são carne e açúcar. Já a Rússia vende ao país mais produtos químicos, especialmente fertilizantes.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.