Alencar defende acordo das companhias aéreas com governo

O ministro da Defesa, vice-presidente José Alencar, encontrou-se hoje com o presidente do STJ, Edson Vidigal, e os representantes das empresas aéreas, defendendo o acordo entre as companhias e o governo federal. As empresas teriam a receber R$ 4,68 bilhões pelo ressarcimento do congelamento das tarifas no passado e teriam uma dívida com o fisco calculada em R$ 5 bilhões.Ele defendeu o acordo argumentando que o precedente já foi aberto no acordo com a Transbrasil, que recebeu cerca de R$ 750 milhões após um acordo fechado com o ministério da Fazenda. A reunião não foi conclusiva e Alencar disse que conversará com o presidente Lula, que deverá solicitar à Advocacia-Geral da União um parecer sobre a proposta de acordo com base no encontro de contas. "Darei ao doutor Vidigal, hoje ainda, uma resposta; farei um esforço para saber ainda hoje se isto é possível", disse, referindo-se ao parecer.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.