Alencar diz que juro é despropósito, mas elogia trabalho do BC

O presidente em exercício, José Alencar, voltou a criticar hoje os juros no País, mas elogiou o trabalho que vem sendo feito pelo Banco Central para reduzir a Selic, a taxa básica de juros da economia. "As taxas de juros no Brasil são um despropósito, mas apesar disso o País está crescendo, porque ele é maior que o abismo", afirmou. Alencar reconheceu que o governo tem feito "todo esforço possível" para trazer a taxa básica de juros a um patamar internacional. "O trabalho do governo tem sido exemplar. Quando chegamos, a taxa básica do Banco Central estava em 25%. No nosso período já tivemos que elevá-la a 26,5%, mas já reduzimos para 16%. É muito alto ainda, mas o governo tem feito todo o possível para recuperar credibilidade nacional, para poder colocar esses juros dentro de um patamar compatível com a economia mundial", afirmou. Alencar comentou ainda que o setor agrícola tem conseguido obter bons resultados, porque algumas modalidades de investimento, como o Moderfrota (linha de financiamento para a compra de maquinário agrícola), contam com juros de 8,75% ao ano. "Obviamente isso representa um dos fatores que colaboram com o crescimento da agricultura. Se o agricultor tivesse que trabalhar com as taxas vigentes nos setor bancário brasileiro, não teria condições de dar nem o primeiro passo", disse o presidente em exercício, em entrevista depois de inaugurar a processadora da Cargill, em Rio Verde (GO).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.