Covid-19

Bill Gates tem um plano para levar a cura do coronavírus ao mundo todo

Alencar: medidas são decisão política do presidente Lula

O presidente em exercício José Alencar disse que as medidas tributárias anunciadas hoje pelo governo são uma decisão política do presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Segundo ele, o desempenho da economia brasileira durante a crise tem sido melhor que o de outros países porque o presidente Lula tem uma forte preocupação com a questão do emprego e defende a adoção de medidas que tenham como objetivo a preservação do nível de ocupação do País.

ANNE WARTH E RICARDO LEOPOLDO, Agencia Estado

30 de março de 2009 | 17h43

"Se fortalecermos o mercado interno, vamos combater a crise. Tudo isso tem uma razão eminentemente política. A decisão é política, e a forma como ela é elaborada é técnica. Mas não é uma decisão técnica. Não podemos nos esquecer disso", disse ele. "Se o presidente da República não tiver sensibilidade para isso, não haverá solução. A decisão foi do presidente Lula."

Segundo ele, Lula, que chega nesta noite a Doha, no Catar, para participar da II Cúpula América do Sul - Países Árabes, teria ficado muito satisfeito com a retomada das vendas pela indústria automotiva e com o compromisso de manutenção dos empregos no setor. Alencar disse também que a redução do Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI) para materiais de construção ajudará no esforço pela geração de postos de trabalho.

"O desemprego é nossa maior preocupação - por isso estamos tão atentos a essa questão. Não há nada mais triste que um chefe de família que chega em casa e conta para a família que perdeu o emprego", afirmou. "Não podemos demitir ou, pelo menos, não devemos demitir. Como já disse o ministro da Fazenda, Guido Mantega, o Brasil será um dos únicos que não assistirão à queda do mercado de trabalho neste ano", acrescentou.

Alencar destacou que as medidas anunciadas hoje vão resultar na queda da arrecadação, mas serão compensadas pelo aumento dos tributos incidentes sobre o cigarro, tudo com vistas à necessidade de manter o equilíbrio orçamentário. "Todas essas medidas afetarão nosso orçamento, e nós sabemos que um dos instrumentos mais importantes para a manutenção da inflação sob controle é o equilíbrio fiscal", afirmou.

Durante o anúncio das medidas, Alencar também disse que o Brasil será um dos menos afetados pela crise financeira internacional, motivada pela "ambição desmedida do mercado pelo lucro". As razões do melhor desempenho do País, segundo ele, são a solidez do sistema financeiro e a reduzida participação das exportações no Produto Interno Bruto (PIB) - apenas 13%.

Tudo o que sabemos sobre:
LulaAlencar

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.