Alencar recua e adota discurso otimista para 2003

Fervoroso crítico da política de juros altos, o vice-presidente José Alencar assumiu uma posição mais moderada em relação aos rumos da economia e preferiu rever o discurso de que o ano de 2003 na área econômica está perdido. "O ano está aí firme e forte. Temos o ano todo pela frente", disse ele, abandonando a retórica pessimista adotada na segunda-feira.A mudança de discurso se deu um dia depois de o presidente Luiz Inácio Lula da Silva contestar a tese de que o ano está perdido e de o Comitê de Política Monetária (Copom) anunciar a redução de 2,5 pontos na Selic, taxa básica de juros. Alencar, aliás, não quis se manifestar sobre a decisão do Comitê, que optou por baixar os juros de 24,5% ao ano para 22% ao ano. "Eu não tenho opinião nenhuma sobre o Copom", afirmou.De acordo com um assessor do vice, Adriano Silva, o clima entre Alencar e Lula é de perfeita harmonia, sem nenhum "grilo", e os dois conversaram ontem até 21 horas, durante encontro em Brasília. Segundo o auxiliar, Alencar não considera o ano de 2003 perdido na área econômica e vem se manifestando apenas contra os "juros exorbitantes" praticados no Brasil, cujas taxas são bem maiores que a média de outros países.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.