Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

AleSat compra rede de postos da Repsol no Brasil

Grupo espanhol vendeu 327 postos de gasolina por US$ 55 milhões

, O Estadao de S.Paulo

20 de dezembro de 2008 | 00h00

A petroleira espanhola Repsol anunciou ontem a venda das operações brasileiras em distribuição de combustíveis para a AleSat. A operação, de US$ 55 milhões, faz parte de um processo de redução da presença da companhia na América do Sul, prevista em seu planejamento estratégico. No início da semana, a empresa vendeu sua participação na Refinaria de Manguinhos, no Rio, para o grupo Andrade Magro. A operação amplia a presença da AleSat no mercado brasileiro: a distribuidora ganhará 327 novos postos e estréia no Rio Grande do Sul, onde ainda não operava, com 20 postos. "Serão as primeiras revendas com nossa bandeira no Estado, e pretendemos chegar a 85 até 2012", disse, em nota, o presidente da AleSat, Marcelo Alecrim. A empresa passa a ter cerca de 1,7 mil postos no Brasil, uma fatia de 4,6% do mercado. "A ampliação da rede de postos irá representar um acréscimo de 20% aos cerca de 300 milhões de litros comercializados pela Ale mensalmente", informou a companhia. Uma das distribuidoras que mais crescem no País, a AleSat anunciou recentemente a compra da Polipetro, que tem operações no Paraná e em Santa Catarina. Segundo dados da Agência Nacional do Petróleo (ANP), a AleSat é a sexta maior distribuidora de combustíveis do País.Para Alecrim, a aquisição faz parte de um processo de consolidação do setor. O grupo Ultra recentemente comprou as redes da Ipiranga e da Texaco. A Cosan ficou com a Esso e a Petrobrás ficou com uma parte da Ipiranga, ampliando seu domínio no setor.Há muito, a AleSat ultrapassou a Repsol, que hoje já não faz parte do ranking mensal da ANP. No plano estratégico de reduzir a participação na América Latina de 38%, em 2007, para 31% em 2012, uma das metas da espanhola é se desfazer de negócios de distribuição e revenda. Nesse sentido, já vendeu ativos no Chile e no Equador. Em nota oficial, a Repsol informou que mantém os negócios de gás de cozinha e lubrificantes no Brasil. Não está claro qual será o destino da participação de 10% que a companhia tem na Refinaria Alberto Pasqualini (Refap), no Rio Grande do Sul. PRÉ-SALJá na área de exploração e produção, a decisão é manter o Brasil entre os países prioritários. A Repsol é sócia de descobertas importantes do pré-sal, como Carioca e Guará e é a segunda maior detentora de concessões marítimas Brasil, atrás apenas da Petrobrás, com participação em 24 blocos. É ainda uma das poucas companhias privadas com produção no Brasil, por meio do projeto Albacora Leste, em que é sócia da estatal.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.