Alessandra Restaino, da Le Postiche: herdeira quer renovar a marca

Filha do fundador da rede de lojas de bolsas e acessórios assume a presidência e conduz processo de reposicionamento da marca, definindo as classes A e B como mercado estratégico

Leticia Bragaglia, do Economia & Negócios,

25 de abril de 2011 | 07h38

Foi no ano passado, durante uma reunião de diretoria da Le Postiche, que Alessandra Restaino foi surpreendida pelo pai, Álvaro, com um convite: assumir a presidência da rede especializada em bolsas e acessórios, que hoje tem 220 lojas espalhadas pelo país.

Familiarizada com a rotina da empresa desde os 20 anos, quando começou a dar expediente por lá, a executiva assumiu o posto disposta a reposicionar a marca no mercado. "Fizemos um estudo e focamos a nossa consumidora: ela tem entre 25 e 40 anos, trabalha, tem filhos e pertence às classes A e B." Para propagandear a nova fase, Alessandra contratou a apresentadora Angélica e convidou um time de blogueiras especializadas em moda para o lançamento da última coleção. "Elas são formadoras de opinião. È impressionante como aumentou a procura pelas bolsas que elas citaram nos posts."

Alessandra Restaino, da Le Postiche: herdeira quer renovar a marca

A inauguração de duas lojas conceituais, em Santo André e Petrópolis, também faz parte da estratégia de reestruturação da marca. "Não são espaços abarrotados. As lojas estão divididas de acordo com os momentos da vida da mulher: lazer, trabalho, festa, filhos. A mulher de hoje desempenha vários papéis e precisa de praticidade," explica a executiva.

Em entrevista ao Economia & Negócios, Alessandra conta que divide muito bem a rotina entre os cuidados com os dois filhos e o trabalho. "Não sou culpada. Sou uma mãe light. Tenho a minha rotina e eles tem a deles. Nunca houve choradeira." A executiva ainda encontra tempo para as sessões de acupuntura e a aula semanal de canto. "Saio da empresa atrasada e estressadíssima. Mas chego lá, canto e saio feliz."

Minha missão é muito grande, diz Alessandra Restaino, da Le Postiche

Alessandra diz que até o final do ano serão abertas outras 40 lojas da Le Postiche no Brasil. Planos de expansão para fora do país também não estão descartados. "Outro dia até sonhei com isso," diz ela, bem humorada. Veja a entrevista completa nos vídeos anexados. 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.