Alfândega apreende mais de 20 mil produtos falsificados

Cerca de 20 mil produtos falsificados, dentre os quais tênis, relógios, óculos, bolsas e carteiras, procedentes da China, foram apreendidos pela Alfândega de Santos por se tratarem de imitações de grifes famosas. O carregamento, avaliado em R$ 800 mil, tinha como destino a capital e deveria abastecer o comércio ambulante.Segundo informou o inspetor José Guilherme Antunes de Vasconcelos, os produtos foram retidos em janeiro, quando a fiscalização desconfiou da documentação da carga, em razão da quantidade de mercadorias declaradas. No documento de importação foram relacionadas 500 dúzias de malas de viagem. "De imediato, desconfiamos da tentativa de sonegação fiscal, falsa declaração de conteúdo e crime contra a economia popular", informou o inspetor.Identificado o contêiner, a fiscalização encontrou 6.000 bolsas, réplicas quase perfeitas das grifes Louis Vitton, Fendi, Channel, Victor Hugo, Giorgio Armani e Gucci. Também foram localizados 12 mil pares de tênis, imitações da Nike; 2 mil carteiras, cópias da Mont Blanc, Louis Vitton, Prada e Hugo Boss; 100 óculos falsificados da Ray Ban e da Mont Blanc, além de 500 relógios imitando as marcas Bulgari, Breitling e Rolex. Caso fossem comercializados, os produtos pirateados representariam uma perda de aproximadamente R$ 500 mil, só em tributos.Ainda de acordo com Vasconcelos, a importadora com sede na capital havia entrado no mercado há pouco tempo, mas não era uma empresa de fachada. O caso já está sendo analisado pelo Ministério Público, que deverá indiciar a importadora por fraude. As mercadorias apreendidas, por sua vez, serão destruídas.A Alfândega estuda a possibilidade de um entendimento com a empresa detentora da marca de tênis para que os produtos, mesmo sendo falsificados, sejam doados para instituições de caridade.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.