Algodão reage e sobe 4,13% em NY

Depois de atingirem o menor nível em seis meses, os preços do algodão avançaram com força ontem na Bolsa de Nova York. O contrato da pluma para entrega em dezembro subiu 4,13%, para 100,76 centavos de dólar por libra-peso. O algodão segue uma trajetória de queda desde março, mês em que os preços atingiram nível recorde e inibiram a demanda. Entretanto, o pregão de ontem chamou a atenção dos investidores, que encontraram uma boa oportunidade para comprar nas mínimas. Segundo alguns analistas, o movimento foi predominantemente técnico e não há mudanças na oferta ou na demanda. Por outro lado, ainda não se sabe exatamente qual será o impacto nas lavouras da forte seca no Texas, principal produtor dos Estados Unidos. Anteontem, o governo americano informou que apenas 29% das lavouras de algodão do país se desenvolvem bem, o que fortalece rumores sobre possíveis prejuízos.

Filipe Domingues, O Estado de S.Paulo

27 de julho de 2011 | 00h00

A terça-feira foi um dia positivo para as commodities de modo geral, devido à queda do dólar frente a uma cesta de moedas. Um impasse nas discussões sobre a elevação do teto da dívida dos Estados Unidos pesou sobre a moeda americana. E, quando o dólar cai, tende a aumentar o poder de compra de quem usa outras moedas. Em Chicago, o milho subiu 1,82%, a soja avançou 1,22% e o trigo teve alta de 0,80%. A piora do clima em áreas de produção de grãos também puxou as cotações.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.