Algodão recua em NY com chuva em região produtora dos EUA

Cenário:

ANGELO IKEDA, O Estado de S.Paulo

24 de maio de 2014 | 02h08

Os futuros do algodão registraram nova queda na Bolsa de Nova York, pressionados por chuvas no oeste do Texas, maior região produtora da fibra nos Estados Unidos. A previsão é de que continue chovendo no fim de semana, o que deve beneficiar as lavouras implantadas recentemente. O algodão consegue se desenvolver em condições de seca, mas chuvas são necessárias principalmente após o plantio. A região vem sofrendo com a estiagem desde o final de 2010, segundo um especialista ouvido pela agência Dow Jones. O desempenho do mercado refletiu também o avanço mais rápido do plantio em comparação ao ano passado. Ontem, o contrato com vencimento em julho caiu 1,7% e fechou a 86,31 centavos de dólar por libra-peso. Na semana, os preços recuaram 3,9%, a maior queda em sete meses.

O café arábica teve leve alta de 0,30% e se manteve dentro do intervalo recente de negociação. Segundo analistas, o mercado aguarda informações mais concretas sobre a qualidade da safra brasileira, cuja colheita teve início recentemente. Nos dois primeiros meses do ano, as lavouras do País foram atingidas por uma forte estiagem, o que levou muitos especialistas a revisar para baixo suas estimativas.

Na Bolsa de Chicago, o trigo fechou em baixa pela quarta sessão consecutiva, com perda de 1%, após as primeiras chuvas em mais de seis meses em algumas áreas do Texas e de Oklahoma. As chuvas devem beneficiar também o nordeste de Kansas, cujas lavouras estão passando por estágios cruciais de desenvolvimento.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.