Ações

Empresas de Eike disparam na bolsa após fim de recuperação judicial da OSX

Algodão sobe com clima nos EUA

Os preços internacionais do algodão fecharam em alta ontem em Nova York. O mercado se recuperou de parte das perdas das últimas semanas, sustentado pelo fato de que o clima está desfavorável para o plantio em algumas regiões dos Estados Unidos, maior exportador da commodity. O contrato da fibra para entrega em julho subiu 1,40%, para 156,03 centavos de dólar por libra-peso. Entretanto, o algodão ainda acumula queda de 25% desde março, por dois motivos principais: primeiro, a forte demanda provocou valorização do produto e o preço atingiu nível histórico naquele mês, recuando logo depois; segundo, ainda há muitas incertezas sobre a recuperação da economia global, principalmente com a crise em países da Europa.

Filipe Domingues, O Estado de S.Paulo

26 de maio de 2011 | 00h00

Outras commodities terminaram o dia com ganhos. Também em Nova York, o açúcar fechou em alta de 3,33%, ainda puxada pelos atrasos na colheita de cana do Brasil e, consequentemente, nos embarques para exportação. O café avançou 1,40%, numa reação após queda de 15% desde que alcançou a maior cotação em 14 anos, no início de maio.

Na Bolsa de Chicago, os grãos também subiram. Há semanas esses mercados vêm acompanhando o clima nas principais regiões produtoras do mundo e oscilam conforme evoluem as incertezas sobre o avanço do plantio de milho e trigo de primavera nos Estados Unidos, que está bastante atrasado.

 

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.