Algodão sobe em NY com aumento da demanda

Cenário: Paula Moura

O Estado de S.Paulo

30 de novembro de 2012 | 00h56

A demanda aquecida por algodão fez os preços futuros da fibra subirem ontem na Bolsa de Nova York. Os Estados Unidos vêm embarcando para o exterior volumes expressivos nas últimas semanas, depois de um período longo de baixa procura pelo produto. Como na China as cotações superam o valor praticado no mercado internacional, a indústria local tem se abastecido fora. O contrato para entrega em março avançou 0,99% e fechou a 73,35 centavos de dólar por libra-peso, maior patamar em mais de um mês.

As demais commodities agrícolas foram favorecidas pelo clima de otimismo nos mercados em geral com a expectativa de que haja um acordo nos Estados Unidos capaz de evitar o chamado abismo fiscal, que reduziria o orçamento do país. O dólar se desvalorizou e ajudou a puxar para cima produtos como o açúcar (0,94%), o cacau (1,34%) , café (1,0%) e suco de laranja (0,69%).

Na Bolsa de Chicago, dados de exportação de óleo e farelo de soja revelados pelo Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) deram suporte para os preços da oleaginosa, que subiram 0,12%.

Já no caso do milho e do trigo, os números do governo norte-americano mostraram que a procura pelos cereais caiu após a alta recente. O milho recuou 0,69% e o trigo, 0,65%. O mercado passou a olhar com menos preocupação as projeções de redução da oferta do trigo devido a riscos climáticos depois que a Associação de Grãos da Ucrânia disse que o governo do país elevou o limite de exportação do cereal neste ano.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.