Alimentos arrefecem e IPC-S desacelera mais que o previsto

Indicador subiu 0,33% na terceira prévia de setembro, ante elevação de 0,51% na segunda, aponta FGV

Reuters,

23 de setembro de 2009 | 10h08

A inflação pelo Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) desacelerou mais que o esperado, devido a um novo arrefecimento nos custos dos alimentos.

 

O indicador subiu 0,33% na terceira prévia de setembro, ante elevação de 0,51% na segunda, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV), nesta quarta-feira, 23. Analistas consultados pela Reuters previam uma leitura de 0,41%.

 

"Frutas (passaram de alta de 15,32% na segunda leitura para 9,43% na terceira) e Hortaliças e Legumes (de 7,34% para 4,52%), alimentos que apresentaram fortes aumentos nas últimas semanas, registraram novos decréscimos em suas taxas de variação", disse a FGV em nota.

 

"Estes movimentos responderam majoritariamente pela desaceleração da taxa do grupo Alimentação, classe de despesa que mais influenciou o recuo da taxa do IPC-S." Os preços de Alimentação passaram de alta de 1,43% na segunda prévia para 0,64% na terceira.

 

Por outro lado, os custos de Vestuário desaceleraram a queda, para 0,22% na terceira leitura, ante baixa de 0,47% na segunda. Os de Educação, leitura e recreação também caíram menos, em 0,02%, contra declínio anterior de 0,16%.

 

As principais quedas individuais de preços vieram de leite longa vida, melancia, frango inteiro, melão e banana prata.

 

O IPC-S da terceira prévia mediu os preços de 23 de agosto a 22 de setembro.

Tudo o que sabemos sobre:
alimentosinflaçãoIPC-S

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.