Alimentos devem ter alta no mês

Os preços dos alimentos entraram numa escalada de alta, podendo chegar a 10%. Os fatores apontados como principais responsáveis são aumentos nos preços de embalagens, quebra das safras de cana-de-açúcar e trigo e aumentos de custos dos insumos agrícolas.Só o segmento de embalagens teve os preços reajustados entre 10% e 15% nos sete primeiros meses de 2000, e a projeção é de alta de mais 15% até dezembro. A indústria alimentícia, líder no consumo de embalagens, absorve cerca de 40% da produção de papel, papelão e plástico. A Sadia destaca-se entre as indústrias que já começaram a praticar aumentos. Segundo Luiz Murat, diretor de finanças e relações com o mercado da empresa, os preços neste mês devem sofrer reajustes.O peso da embalagem no produto finalPelos cálculos de Sérgio Haberfeld, presidente da Associação Brasileira de Embalagens (Abre), o preço da embalagem tem uma incidência que varia entre 1% e 20% no custo final do produto. Segundo ele, entre janeiro e julho, o papel cartão, usado na confecção das embalagens, aumentou 10% e o papel para embalagens, 9%. Dados do Sindicato da Indústria de Resinas Sintéticas do Estado de São Paulo (Siresp) revelam que nos primeiros sete meses de 2000, as resinas termoplásticas subiram 3%. Veja mais informações no link abaixo sobre redução nas vendas dos supermercados.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.