Alimentos e combustíveis geram deflação em Ribeirão

A cidade de Ribeirão Preto (SP) registrou deflação de 0,84% em junho, de acordo com levantamento da Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) divulgado nesta terça-feira. De acordo com a pesquisa mensal, as quedas nos preços de alimentos e combustíveis foram as principais responsáveis pelo índice negativo.No entanto, o cenário não deve se repetir em julho, já que ainda não foi registrado no levantamento, por exemplo, o recente reajuste de 27,2% - de R$ 1,10 para R$ 1,40, em média - no preço do litro do álcool hidratado no município paulista.O tomate, com queda de 51,56% e contribuição negativa de 0,21 ponto percentual, e o álcool, com redução de 10,93% e contribuição de 0,16 ponto percentual para baixo, foram os principais responsáveis individuais pela deflação na cidade, segundo a pesquisa da Fipe.AlimentaçãoO grupo alimentação, formador de um terço do índice geral, registrou queda de 2,07% e contribuiu negativamente com 0,66 ponto para que houvesse deflação. Já o grupo transportes, com queda de 1,06%, contribuiu com 0,19 ponto percentual negativo. Os grupos educação e despesas pessoais foram os únicos a registrarem inflação pontual em junho, ambos com 0,1%.Com a deflação no mês de junho, Ribeirão Preto tem inflação acumulada em 2006 de 0,33% e nos últimos doze meses o índice acumulado chega a 1,55%, de acordo com a Fipe, ante, respectivamente, 0,08% e 1,84% apontados pela instituição na cidade de São Paulo.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.