carteira

As ações mais recomendadas para dezembro, segundo 10 corretoras

Alimentos e educação respondem por 80% do IPCA-15

Os grupos alimentação e bebidas (1,13 %) e educação (3,61%) foram responsáveis, juntos, por 80% da taxa de inflação do Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA-15) de fevereiro. Os dois grupos contribuíram, juntos, com 0,50 ponto porcentual (cada um com 0,25 ponto) da variação de 0,64% do indicador no mês.No grupo de educação, o aumento nas mensalidades dos cursos de ensino formal ficou em 4,09%, "refletindo a típica aplicação de reajustes no início do ano letivo", segundo os técnicos do IBGE no documento de divulgação da pesquisa. As mensalidades foram o item de maior contribuição individual no índice do mês, de 0,20 ponto percentual.Houve desaceleração nos produtos alimentícios e aceleração nos não-alimentícios. No grupo dos alimentos, a alta foi de 1,13%, inferior à taxa de janeiro (1,96%). Segundo o IBGE, o feijão (10,46% em fevereiro, contra 28,34% em janeiro), apesar da menor variação, continuou com seus preços em alta. Por outro lado, as carnes (4,05% em janeiro) ficaram um pouco mais baratas em fevereiro (-0,99%).A taxa dos produtos não-alimentícios foi de 0,97%, ante 0,35% de janeiro, refletindo, além do reajuste das mensalidades escolares, os aumentos nas tarifas dos ônibus urbanos no Rio de Janeiro , Porto Alegre e Recife.Os combustíveis (-1,09%) apresentaram a mais baixa contribuição. O preço do litro da gasolina ficou 1,17% mais barato, e o álcool teve queda de 1,42%.

JACQUELINE FARID, Agencia Estado

26 de fevereiro de 2008 | 09h20

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.