Renda extra

Fabrizio Gueratto: 8 maneiras de ganhar até R$ 4 mil por mês

Alimentos no atacado forçam alta do IGP-10 em setembro

Índice mais que dobra no mês, registrando variação de 1,47%, e tem a maior alta desde junho de 2004

REUTERS

17 de setembro de 2007 | 08h22

A continuidade da alta nos preços dos alimentos fez a inflação medida pelo Índice Geral de Preços - 10 (IGP-10) mais que dobrar em setembro. Segundo divulgado nesta segunda-feira, 17, pela Fundação Getúlio Vargas (FGV), o indicador registrou em setembro alta de 1,47% neste mês, depois de ter subido 0,64% em agosto. A taxa foi a maior registrada nesse indicador desde junho de 2004. Todos os componentes do IGP-10 registraram acréscimos em suas taxas de variação. A alta mais pesada foi registrada no Índice de Preços por Atacado (IPA), que subiu 2,06%, depois de ter avançado 0,83% no mês anterior.  Os preços dos produtos agrícolas subiram 6,04%, ante aumento de 2,64% em agosto. Além disso, segundo a FGV, os preços dos produtos industriais no atacado apresentaram alta de 0,75% em setembro, ante elevação de 0,25% em agosto. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 0,37%, ante alta de 0,28% no mês anterior.  O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) teve ganho de 0,32%, ante ganho de 0,29% no mês passado.  O IGP-10 foi calculado com base nos preços coletados entre os dias 11 do mês anterior e 10 do mês de referência. No ano, o índice acumula alta de 3,85%. Nos últimos 12 meses a variação acumulada é de 5,63%.  Pressão Os índices de inflação do País entraram em um movimento de crescente elevação a partir de julho, pressionados em grande parte pela alta nos preços dos alimentos e, em alguns casos específicos, pela crise financeira. No mercado interno, os produtos agropecuários estão enfrentando problemas de entressafra e de forte demanda. No cenário externo, a alta mundial do preço das commodities também pressiona os índices no Brasil. Para Salomão Quadros, da Fundação Getúlio Vargas, a forte demanda externa produziu a alta das cotações. Além disso, alguns indicadores - como é o caso dos IGPs - levam em conta a cotação do dólar no cálculo. Assim, a valorização da moeda norte-americana causada pela crise financeira também contribuiu para a alta da inflação no País.

Tudo o que sabemos sobre:
MACROIGPDEZSETEMBRO

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.