finanças

E-Investidor: "Você não pode ser refém do seu salário, emprego ou empresa", diz Carol Paiffer

Alimentos pressionam e IPC-S sobe 0,17%

Os preços dos alimentos continuampressionando o bolso dos consumidores e os indicadores deinflação no início de novembro. O Índice de Preços ao Consumidor Semanal (IPC-S) registroualta de 0,17 por cento na abertura do mês, puxado pelo aumentodos preços de produtos como arroz, feijão, hortaliças elegumes, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nestaquinta-feira. No fechamento de outubro, o indicador subiu 0,13por cento. "Alimentação foi a classe de despesa que mais contribuiupara o avanço da taxa do IPC-S", informou a FGV. Os preços dosalimentos avançaram 0,39 por cento, depois de terem subido 0,25por cento no fechamento de outubro. Os custos com Transportes, Despesas diversas e Habitaçãotambém foram elevados. Em contrapartida, os grupos Vestuário eSaúde e Cuidados Pessoais registraram decréscimos em suas taxasde variação. A primeira prévia do IPC-S de novembro foi calculada combase nos preços coletados entre os dias 8 de outubro e 7 denovembro, comparados aos coletados entre 8 de setembro e 7 deoutubro. (Por Renato Andrade)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.