Alimentos pressionam, mas IGP-M fica abaixo do esperado

A inflação pelo Índice Geral dePreços do Mercado (IGP-M) acelerou em março após dois meses dequeda, em razão sobretudo da maior alta dos alimentos noatacado, mas ficou abaixo do esperado pelo mercado. Os preços estão sendo pressionados, sobretudo no atacado,pelos aumentos das cotações internacionais de metais ecommodities. A taxa foi de 0,74 por cento, ante 0,53 por cento emfevereiro, informou a Fundação Getúlio Vargas (FGV) nestasexta-feira. Analistas consultados pela Reuters projetavam avanço de0,83 por cento, segundo a mediana de 22 estimativas, quevariaram de 0,70 a 0,95 por cento. O Índice de Preços por Atacado (IPA) subiu 0,96 por centoneste mês, ante avanço de 0,64 por cento em fevereiro. O IPA agrícola acelerou a alta para 1,16 por cento emmarço, contra 0,23 por cento no mês passado. O IPA industrialsubiu 0,88 por cento, ligeiramente acima da taxa de 0,80 porcento de fevereiro. As principais variações positivas individuais de preços noatacado foram de tomate, ovos, minério de ferro, adubos efertilizantes compostos e soja em grão. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) avançou 0,19 porcento, abaixo da variação positiva de 0,26 por cento no mêsanterior. No varejo, os custos de Alimentação declinaram, em 0,02 porcento, após subirem 0,21 por cento no mês passado. Outro fatorde alívio veio de Educação, leitura e recreação, com avanço de0,52 por cento em março, ante elevação de 1,06 por cento emfevereiro. No varejo, as maiores quedas individuais de preços vieramde batata-inglesa, mamão papaia, maçã nacional, feijãocarioquinha e alcatra. O Índice Nacional de Custo da Construção (INCC) registroualta de 0,59 por cento, depois da elevação de 0,43 por cento emfevereiro. No ano, o IGP-M acumula alta de 2,38 por cento e nosúltimos 12 meses, de 9,10 por cento. O indicador de março mediu os preços entre 21 de fevereiroe 20 deste mês.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.