Alimentos têm maior alta desde 2003 e IPC-Fipe supera previsões

A inflação ao consumidorem São Paulo acelerou mais que o esperado na terceira leiturado mês, em razão da maior alta dos preços dos alimentos desde ocomeço de 2003. O Índice de Preços ao Consumidor (IPC) subiu 1,08 por centona terceira quadrissemana deste mês, contra alta de 0,89 porcento na segunda, informou nesta quarta-feira a FundaçãoInstituto de Pesquisas Econômicas (Fipe). Economistas pesquisados pela Reuters previam uma taxa de0,96 por cento, segundo a mediana de 10 estimativas, quevariaram de 0,50 a 1,02 por cento. Os custos do grupo Alimentação avançaram 2,61 por cento naterceira leitura, contra alta de 1,77 por cento na segunda. Foia maior variação desde a segunda quadrissemana de janeiro de2003, quando havia subido 2,65 por cento. Outros grupos com aceleração de preços, embora em ritmomenor, foram Despesas Pessoais (alta de 0,71 por cento anteanterior de 0,66 por cento) e Vestuário (avanço de 1,60 porcento na terceira contra 1,22 por cento na segunda). Já os custos de Saúde reduziram o ritmo de elevação,mostrando o começo do fim do impacto do reajuste dos remédios.O avanço foi de 0,83 por cento na terceira quadrissemana, ante1,23 por cento na segunda. O IPC mede a variação dos preços no município de São Paulode famílias com renda até 20 salários mínimos. (Reportagem de Vanessa Stelzer)

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.