Alimentos triplicam alta e IPCA-15 mais que dobra em abril

Alta nas cotações internacionais dos alimentos levam inflação a alta de 0,59% no mês, ante 0,23% em março

Vanessa Stelzer, da Reuters,

25 de abril de 2008 | 09h14

Refletindo principalmente as elevadas cotações internacionais, os preços dos alimentos triplicaram em abril, pressionando a inflação pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo-15 (IPCA-15) do mês.  Veja também:Aumentos em saúde elevam inflação em SP na 3ª leitura do mêsEntenda os principais índices de inflação A crise dos alimentos  O indicador subiu 0,59% neste mês, seguindo a alta de 0,23% em março, informou o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nesta sexta-feira, 25.  O número superou a mediana de previsões de 25 analistas consultados pela Reuters, de 0,56%, mas ficou dentro da faixa de estimativas de 0,50% a 0,63%.  Os preços do grupo Alimentos subiram 1,28% no mês, ante alta de 0,40% em março, contribuindo com 0,28 ponto percentual do IPCA-15 do período.  Os produtos com maiores variações positivas foram os que contêm insumos negociados nos mercados externos de commodities, que bateram recordes recentemente. Todos os derivados de trigo, por exemplo, tiveram aceleração dos preços.  "Vários produtos apresentaram alta, com destaque para o pão francês, que ficou 6,95% mais caro em abril, constituindo-se na maior contribuição individual: 0,08 ponto percentual", disse o IBGE em nota.  Os custos do óleo de soja saltaram 8,82% e os farinha, 3,71%. Outros itens que contribuíram para a aceleração da inflação foram álcool (alta de 1,36%), gasolina (0,54%) e energia elétrica (1,30%).  O grupo vestuário também teve aceleração, para 1,35%, revertendo as quedas do começo do ano geradas por liquidações sazonais.  O IPCA-15 é tido como uma prévia do IPCA, o índice que serve de referência para a meta de inflação do governo. A metodologia de cálculo é a mesma, apurando a variação de preços para famílias com renda de até 40 salários mínimos em 11 regiões metropolitanas do país.  A diferença está no período de coleta, já que o IPCA mede o mês calendário. No ano, o IPCA-15 acumula elevação de 2,18% e nos últimos 12 meses, de 4,94%.

Tudo o que sabemos sobre:
InflaçãoIPCA-15

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.