Alitalia anuncia a demissão de 2,5 mil

A companhia aérea Alitalia SpA, que é controlada pelo governo italiano, anunciou a aprovação de um plano de restruturação que prevê a demissão de 2,5 mil funcionários, que representam 15% do pessoal da empresa. A medida visa o corte de custos. A empresa informou que deverá iniciar imediatamente as conversas com os sindicatos, que são contrários às demissões, em função dos termos de uma lei aprovada em 1991, que especifica os "contratos solidários". A lei afirma que a empresa e o Ministério do Trabalho têm 75 dias para chegarem a um acordo a respeito das demissões. Se a tentativa fracassar, a empresa poderá dar prosseguimento ao processo de demissões de maneira unilateral. Os sindicatos, no entanto, criticaram a Alitalia pela decisão e prometeram reagir.EmergênciaSegundo a empresa, as demissões fazem parte de um plano de restruturação de "emergência", desenvolvido depois da queda abrupta no tráfego de passageiros em função dos atentados de 11 de setembro nos Estados Unidos. A empresa se comprometeu a consultar o primeiro-ministro, o Tesouro (o seu maior acionista) e os ministros dos Transportes e do Trabalho.Na semana passada, os sindicatos solicitaram ao governo italiano que declarasse "estado de crise" no setor de transporte aéreo, segundo o jornal local Il Sole 24 Ore. O governo negou a afirmação.No comunicado em que anunciou as demissões, a Alitalia não fez menção ao lançamento dos títulos entre 1,2 bilhão de euros (US$ 1,07 bilhão) e 1,4 bilhão de euros (US$ 1,25 bilhão). Os títulos somente serão lançados depois que a empresa formalizar um acordo com os sindicatos, segundo o diário local.

Agencia Estado,

15 de janeiro de 2002 | 09h30

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.