Alívio da crise em Portugal beneficia bolsas da Europa

Apenas Londres e Frankfurt fecharam em baixa, mas perto da estabilidade; bolsa de Lisboa subiu 2,30%

22 de julho de 2013 | 13h30

As bolsas europeias fecharam majoritariamente em alta nesta segunda-feira, 22, com exceção de Londres e Frankfurt, que encerraram em queda, mas próximas da estabilidade. Em dia de agenda vazia, os índices receberam apoio do noticiário corporativo e do alívio com a crise política em Portugal. O índice Stoxx Europe 600 encerrou a sessão com alta de 0,15%, aos 300,29 pontos - o quarto pregão consecutivo de ganhos.

No domingo, o presidente de Portugal, Aníbal Cavaco Silva, manifestou seu apoio à coalizão de governo e descartou convocar eleições imediatas, dando fim a semanas de incertezas políticas que ameaçaram o programa de resgate de 78 bilhões de euros (US$ 102,5 bilhões) de Portugal.

Silva foi forçado a escolher entre manter o atual governo e convocar novas eleições após os três principais partidos do país não concordarem com o pacto proposto pelo presidente que visava a estabilidade política de longo prazo. "Já que o pacto não foi alcançado, acredito que a melhor alternativa é que o atual governo permaneça no poder até o fim do seu mandato", disse Silva, em um discurso televisionado.

A queda inesperada nas vendas de moradias usadas nos EUA, porém, pressionou alguns índices europeus. As vendas caíram 1,2% em junho, na comparação com maio. Mesmo com a queda, o número é o segundo mais alto desde novembro de 2009, quando um crédito fiscal estava perto de expirar, e representa alta de 15,2% sobre junho do ano passado. O resultado, porém, ficou bem abaixo da previsão dos economistas consultados pela Dow Jones, que esperavam avanço mensal de 1,9%.

Nesse cenário, o índice PSI-20, da Bolsa de Lisboa, subiu 2,30%, sendo o destaque de alta do dia e fechando a 5.651,40 pontos.

O índice DAX da Bolsa de Frankfurt caiu 0,01%, fechando a 8.331,06 pontos. A RWE ganhou 2,6% após dizer que pretende intensificar reduções de gastos. As ações do Deutsche Bank subiram 1,4% após a notícia de que o banco pretende reduzir seu balanço patrimonial.

Em Londres, o índice FTSE perdeu 0,11% e encerrou a sessão a 6.623,17 pontos. Fresnillo e Randgold Resources avançaram 3,4% e 5,6% na medida em que os preços do ouro atingiram o maior nível em um mês.

Na Bolsa de Paris, o índice CAC-40 avançou 0,37% e fechou a 3.939,92 pontos. Os bancos lideraram os ganhos, com BNP Paribas (+1,8%) e Société Générale (+1,7%).

O índice FTSE-Mib, da Bolsa de Milão, ganhou 0,68%, aos 16.233,55 pontos. Em Madri, o índice IBEX-35 teve alta de 0,29%, a 7.966,00 pontos. Fonte: Dow Jones Newswires.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.