ALL terá financiamento de R$ 2,15 bi do BNDES

Crédito é o maior já concedido para o setor de ferrovias

Mônica Ciarelli e Paulo Justus, O Estadao de S.Paulo

10 de junho de 2009 | 00h00

O BNDES aprovou ontem o financiamento de R$ 2,15 bilhões para o Grupo América Latina Logística (ALL). A linha de crédito é a maior já aprovada pelo banco para investimentos no setor de ferrovias. Os recursos, que serão liberados entre 2009 e 2012, vão viabilizar a ampliação da capacidade das ferrovias do grupo, com a compra de 143 locomotivas, a reforma e recuperação de 88 locomotivas e a aquisição, recuperação e reestruturação de mais 11 mil vagões.O financiamento será liberado pelo banco à medida que a ALL fizer o investimento. O grupo pretende investir cerca de R$ 700 milhões por ano, nos próximos quatro anos, para suprir o crescimento do volume transportado. "Procuramos aumentar a nossa capacidade de transporte entre 10% e 12% ao ano", diz o diretor de Relações com Investidores do grupo, Rodrigo Campos. Em 2009, a ALL projeta um crescimento de 10% a 20% no volume transportado.Segundo Campos, o plano de expansão da companhia não foi afetado com a crise econômica. "Quando a gente olha para a frente percebe que, à medida que eu aumento capacidade, adiciono mais volume transportado, porque a ferrovia é o modal de transporte mais econômico", afirma. A chefe do departamento de Logística do BNDES, Adely Branquinho, ressalta que o investimento é importante porque reduz o custo Brasil. Segundo ela, apesar da retração econômica, o BNDES não identificou uma queda no pedido de empréstimo pelo setor de infraestrutura. "Nós não sentimos uma redução. Estamos trabalhando no mesmo ritmo do ano passado", diz. Adely diz que o setor tem um olhar de mais longo prazo na hora de definir se tira ou não os planos de expansão da gaveta. "Eles olham para a necessidade de capacidade do futuro." Entre janeiro e abril, o BNDES aprovou a liberação de R$ 5,775 bilhões, cifra que corresponde a um aumento de 15,5% ao registrado no mesmo período do ano passado. Os recursos liberados para o setor no período também cresceram de R$ 4,9 bilhões para R$ 5,4 bilhões. Em 2007, a ALL já havia obtido um financiamento do BNDES de R$ 1,1 bilhão para investimentos até 2009. O valor correspondia a 39% do total de aportes previsto em três anos. Com o fim dessa linha de crédito, no início do ano, a companhia pediu novos recursos. "Negociamos uma nova linha porque a anterior estava acabando", diz Campos. No financiamento atual, a proporção de recursos do banco estatal no investimento da ALL aumentou. O BNDES informou que o apoio da instituição corresponde a aproximadamente 73% do investimento financiável. Os aportes incluem melhorias na via permanente, aquisição de material rodante e de equipamentos, instalação de sistema de informática e de segurança nas operadoras ferroviárias Malha Sul, Malha Paulista, Malha Oeste e Malha Norte.A intenção é gerar opções logísticas mais eficientes para o escoamento da safra e atendimento das unidades industriais nas regiões abrangidas pela ALL, que compreendem os Estados do Sul, São Paulo, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul e região central da Argentina.O banco destacou ainda que os investimentos vão contribuir para reduzir acidentes nas estradas e a emissão de poluentes.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.