Alta da carne alivia queda da exportação para a UE

O embargo parcial à carne bovina brasileira provocou retração das vendas à União Européia. As vendas de carne bovina para o bloco somaram 76,6 mil toneladas no primeiro bimestre do ano, 19% a menos do que o registrado no mesmo período do ano passado. A receita das vendas para o mercado europeu, no entanto, foi 14% superior aos dois primeiros meses de 2007, totalizando US$ 237,38 milhões."A redução do volume exportado para a Europa já era esperado, mas foi compensando em parte pela alta nos preços da carne vendida para o bloco e pela diversificação de mercados que o produto brasileiro alcançou", disse o presidente da Associação Brasileira das Indústrias Exportadoras de Carnes (Abiec), Marcus Vinícius Pratini de Moraes.Segundo Pratini, as vendas de carne in natura que iam para a Europa serão substituídas por vendas de carne industrializada, principalmente a cozida e congelada. Os efeitos dessa substituição ainda não puderam ser percebidos em fevereiro, mas já começarão a se destacar na divulgação dos dados do próximo mês.Além da União Européia, as indústrias exportadoras também registraram queda no volume de vendas para clientes importantes no primeiro bimestre de 2008. Nos dois primeiros meses, as vendas para a Rússia recuaram para 65,5 mil toneladas (-45%), as do Egito caíram para 28,8 mil (-43%) e as da Argélia foram reduzidas para 10,5 mil toneladas (-19%). "Muitos países reduziram o ritmo de compra porque o preço da carne bovina brasileira ficou caro e os compradores não consideraram os dois primeiros meses do ano o melhor momento para comprar", explica o diretor-executivo da Abiec, Antônio Jorge Camardelli.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.